terça-feira, 20 de junho de 2017

Projeto Pegaí leva cultura grátis para a população.


Muitas vezes reclamamos das dificuldades culturais em um país como o Brasil. O número baixo de leitores, os downloads ilegais, a preferência pelos autores de fora em detrimento dos nacionais...

Mas o que estamos fazendo para mudar isso? Reclamar da incompetência dos nossos governantes sentados no conforto dos nossos sofás não mudará muita coisa.

Esse foi o sentimento que tive ao conhecer o professor Idomar Cerutti. Ele me apresentou ao projeto Pegaí, que leva literatura para as pessoas de forma gratuita.


O projeto criado em 2013 na cidade de Ponta Grossa, Paraná tem como objetivo difundir o hábito da leitura oferecendo livros em locais públicos para a população. Funciona como uma biblioteca pública, mas sem a burocracia e a elitização que esse modelo carrega.

Em pontos espalhados pela cidade, os leitores podem pegar e levar para casa os mais diversos livros. Depois basta devolvê-los nos mesmos pontos de forma simples e rápida.

Os livros utilizados são obtidos através de doações, uma vez que o projeto é inteiramente sem fins lucrativos e gerenciado por voluntários.

Enviei para o projeto dois exemplares de "O Mistério de Boa Esperança" que espero sejam bem aproveitados pela população da cidade e das cidades vizinhas, já que o projeto está crescendo.


Se você quer saber mais sobre o projeto, acesse a página oficial http://www.pegai.info/ e se você tem livros e deseja doá-los para o Pegaí, entre em contato através do e-mail contato@pegai.info

Vamos divulgar essa iniciativa e torcer para que surjam outras pelo Brasil. Todo mundo sai ganhando!

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Resenha - O pálido véu do pecado de Leandro Zerbinatti de Oliveira

Olá povo.

Vamos conferir mais uma resenha? É livro nacional e aposto que poucos de vocês o conheciam.

O pálido véu do pecado de Leandro Zerbinatti de Oliveira

Capa:

A ideia da capa me parece muito boa, embora a execução não tenha saído tão interessante. Falta contraste aos elementos, pois tudo ficou muito cinza e branco. Apesar disso, representa bem a história.

SINOPSEHá incontáveis gerações, uma maldição caiu sobre o mundo. Ela foi contida por uma brava guerreira, mas não erradicada, de modo que, ao final de cada era ressurge para assolar a humanidade.
Para enfrentá-la, a salvadora original criou uma ordem sagrada que, chegada a hora, se incumbiria de enviar uma nova salvadora para conter o mal.
Dessa vez, a escolhida é Sivrinn. Na companhia de sua guardiã, ela deverá trilhar um caminho repleto de perigos e provações, que a conduzirão até a origem da maldição, onde deverá tomar uma decisão para a qual treino algum a preparou.
O trajeto, porém, apresentará desafios e verdades que ela sequer imaginava possíveis. O mal e a loucura se manifestarão em locais inesperados, revelando suas facetas mais grotescas. No fim, Sivrinn perceberá que nem sempre as escolhas podem levar a uma consequência benigna.


DADOS TÉCNICOS: 2016, 125 páginas, Independente, Leandro Zerbinatti de Oliveira

RESENHA: O pálido véu do pecado conta a história de uma mulher destinada a salvar o mundo quando uma maldição tomar conta de tudo. Para isso ela vive em uma ordem religiosa onde aprenderá tudo o que precisa saber para deter a maldição e onde se manterá pura (virgem) para a missão.

Sivrinn, também chamada na história de peregrina é ajudada por outra personagem bastante importante: sua guardiã Kraithia. Ela é especialmente treinada em luta e sua missão é defender a peregrina.

HISTÓRIA BEM CONTADA: O autor se saiu muito bem ao não revelar os detalhes da história muito rapidamente. Sabemos apenas que há uma maldição e que a peregrina precisa acabar com ela, mas não recebemos muita informação, o que funciona muito bem para despertar a curiosidade do leitor.

CHECK POINTS: A peregrina conta com uma ajuda bastante interessante em sua jornada. Sempre que encontra um tipo específico de estátua pelo caminho, ela pode executar um ritual que a permitirá renascer a partir daquele ponto em caso de morte. Um conceito que lembra muito o utilizado nos video games, mas que o autor soube usar muito bem na história.

REVIRAVOLTAS E FINAL: A história acaba por nos trazer explicações de como a maldição surgiu e porque a peregrina é a única que pode desfazê-la. Também nos mostra que existem outras como ela tentando realizar a mesma missão e termina de uma forma bastante surpreendente.

AVALIAÇÃO: O pálido véu do pecado é uma boa história, que prende a atenção do leitor, anda no tempo certo e tem um final bastante interessante.
Peca pelos problemas comuns a obras independentes como pequenos erros de revisão, mas que de forma nenhuma prejudicam a leitura.
Leva uma nota 4 no Skoob e fica a curiosidade para mais obras do autor.


E vocês, já leram esta ou outras obras do Leandro? O que acharam?
Deixem seus comentários aqui:

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Resenha - Lenço Vermelho de Nuccia de Cicco

Olá meus caros leitores.

Hoje tem uma resenha diferente de todas já postadas aqui. Isso porque o conto resenhado é erótico.

Muitos que nos acompanham talvez não saibam, mas estórias eróticas não costumam fazer o meu gosto pessoal. Apesar disso, acabei lendo esse por se tratar de uma autora parceira e amiga, a Núccia de Cicco.

Vamos para a resenha?

CAPA: 

Ao contrário de muitas capas do estilo, que apelam para a nudez parcial ou total como chamariz de venda, Lenço Vermelho ganha pontos por passar uma boa ideia da história, entregar o estilo e não ser apelativa. Ponto para a obra!

SINOPSEEm meio ao caos de uma guerra, eles se encontraram. Porém, ela nunca soube como era sua fisionomia, pois em todos os seus encontros devia usar uma venda. Cada encontro é intenso e cheio de prazer e essas sensações poderiam se estender por anos se ela já não estivesse cansada desse mistério todo. Uma decisão que pode mudar tudo.


DADOS TÉCNICOS: 2017, 19 páginas, Independente, Nuccia de Cicco

RESENHA: Uma mulher ruiva caminha pelas ruas de uma cidade em guerra. Ela tenta passar despercebida, mas seu biotipo a destaca na multidão. Apesar de não estar claro qual país ou guerra, o cenário criado em minha imaginação foi o da segunda guerra mundial e o país, França.

Levada pelas nuances da vida, ela acaba por conhecer um homem misterioso com quem vive aventuras amorosas rotineiras, desde que use uma venda para que não saiba a identidade de seu amante.

Sem dar muitos spoilers, posso dizer que o livro me trouxe uma boa leitura, pois a autora soube descrever as cenas com elegância, mesmo as mais quentes. O bom gosto na escrita fez com que o erotismo não fosse a razão única da história, mas uma parte importante dela.

Ao final, a tão esperada revelação de porque a moça precisava utilizar o lenço é bastante convincente, apesar de que alguns leitores podem preferir não ter feito essa descoberta.

Um conto competente, com uma história envolvente e um final bem planejado. Leva nota 4 no skoob e a recomendação para a leitura por qualquer fã de literatura e não apenas aos do gênero erótico.

domingo, 4 de junho de 2017

Resenha - Neo Nefelins (segredos revelados) de E.F. Costa

Olá Pessoal.
Estamos em férias do trabalho, mas o blog não para. E como avião é um convite para a leitura, vamos ter algumas resenhas chegando rapidinho. A de hoje é sobre o livro digital Neo Nefelins (segredos revelados) do autor brasileiro E.F. Costa.

CAPA: 

A capa, apesar de bonita e de contar com elementos que remetem à história acabou por me passar uma ideia errada. Mas aviso que o problema foi de entendimento da minha parte.
Os olhos grandes e o nome do personagem principal me lembraram lobos, então achei que a mitologia retratada tivesse algo a ver com lobisomens...


SINOPSESeria legal ter outra vida? Obter poderes sobrenaturais para fazer coisas incríveis? Willem Fenrir vivia sua vida de estudante e sonhador sem maiores preocupações do que as de sempre. Amor não correspondido, falta de dinheiro para fazer o que quer, entre outros dilemas... Tudo começa a mudar quando ele descobre ser filho de um ser espiritual com grande influência no mundo. 

Willem descobrirá nesta jornada quem são os Nefelins, a oculta Guerra Espiritual, seus Dons e Poderes sobrenaturais, bem como seu destino. Qual escolha ele irá tomar? Reinar secretamente sobre os humanos ou defende-los? Descubra acompanhando essa aventura! 

DADOS TÉCNICOS: 2016, 388 páginas, Independente, E.F. Costa

RESENHA: Willem Fenrir (ainda acho esse sobrenome meio de lobisomens) é um menino normal de primeiro ano do segundo grau na pacata cidade de São Estevão.
Ele faz o típico modelo de adolescente que não se encaixa na sociedade, até que, num lindo dia descobre que tem poderes sobrenaturais.

Essa descoberta é feita na forma de uma carta que ele e alguns colegas de colégio (inclusive a namorada) acabam recebendo.

Descobrimos então que eles são Nefelins. filhos de anjos e humanos, destinados a trazer o balanço de volta ao nosso mundo. Para fazer isso eles precisarão lutar contra humanos possuídos por anjos caídos (demônios) assim como os próprios anjos do mal.

PASSAGEM DO TEMPO: O Autor encontrou uma forma de acelerar o treinamento do grupo. Eles vão para um lugar onde o tempo passa bem mais devagar do que em seu mundo natal e passam cerca de dois anos lá dentro.
Quando retornam estão mais velhos, algo que seria facilmente notado pelos colegas e professores, apenar disso, todos parecem não perceber a diferença.

MITOLOGIA ANGÉLICA: Se você já leu a batalha do apocalipse ou outra obra do "Spohrverso" sabe do cuidado que ele teve ao descrever como cada classe de anjo funciona, chegando até a ser repetitivo. Em neo nefelins, acontece o contrário. O autor explica muito pouco e fica difícil entender como as coisas realmente funcionam.
Sabemos que os nefelins foram projetados para servirem ao lado escuro da força, mas não se sabe como eles podem ser mais fortes que os anjos, se tem apenas uma parte dele.
O autor traz um conceito energético chamado "sephiroth" para explicar, mas, para mim, ficou bastante confuso.

MEIO MANGÁ: As lutas são bem descritas, mas as transformações sofridas pelos personagens principais, assim como as armaduras que eles usam a partir de certo ponto, me fizeram lembrar bastante de alguns animes e mangás, principalmente cavaleiros do zodíaco. A diferença é o uso de espadas e até armas de fogo.
Eles também ficam com cabelos e unhas maiores ao se transformarem, outra influência bastante japonesa, ao que parece.

EVOLUÇÃO DE VIDEO GAME: Tomando cuidado para não dar spoilers, o livro acaba tendo uma sequência que lembra um jogo de video game, com o nível de dificuldade das missões e dos "chefes de fase" sendo elevado de forma gradual até o embate final.

DUALIDADE QUE NÃO FUNCIONA: O autor promete durante toda a história, a existência de um embate entre o bem e o mal dentro do protagonista. Mas essa promessa acaba passando longe de ser cumprida e sentimos que toda a ameaça acabou sendo para nada.

CANSATIVO: 388 páginas acabou sendo muito para um livro de fantasia sem muita novidade. Dá para perceber que o autor sabe escrever e tem uma boa história em mãos, mas ela precisa de uma edição qualificada para cortar esses excessos e de uma revisão cuidadosa para se transformar em livro impresso.

MEDIANO:  Fica com 3 estrelas de 5 possíveis. Leia somente se você gosta bastante de fantasia Young Adult.

domingo, 28 de maio de 2017

Resenha do desinformadoss é premiada

Olá caros leitores.

Já se vão dois anos desde que começamos a fazer resenhas aqui no blog, sempre primando pela qualidade e pela imparcialidade. Não importa se o livro foi comprado, baixado de graça nas promoções da Amazon ou recebido em parceria com algum autor ou editora.

Sempre procuramos dar a nossa opinião mais honesta, mesmo quando não gostamos de algo, mas sempre deixando claro ao leitor que, resenha é pessoal. Não é porque nós não gostamos de alguma coisa que outros leitores também não irão gostar.

Mas esse post é para comemorar que uma de nossas resenhas foi premiada por ter sido considerada a melhor sobre uma obra.

A obra em questão é a "Estranha Bahia" uma antologia nacional com a premissa em comum de misturar o estado da Bahia com acontecimentos fantásticos.

Para ler a nossa resenha, clique: Resenha Estranha Bahia

Foi com grande surpresa que descobrimos que havia um concurso para eleger a melhor resenha e que haviam prêmios envolvidos.

Vejam o resultado da promoção: Aqui

Após isso, fomos contatados pelo Ricardo Santos, um dos autores e organizadores da antologia para a entrega dos prêmios.
Cabia a nós escolher uma obra para ser recebida e escolhemos "Terra Sonâmbula" do autor moçambicano Mia Couto (resenha dele em breve aqui) além da versão impressa (muito bonita, inclusive) de "Estranha Bahia" e marcadores do livro.

Veja os prêmios:


A equipe do desinformados agradece a todos os envolvidos e segue incentivando a literatura nacional para que mais projetos como este se tornem possíveis.

Grande abraço a todos!

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Revista Geração Bookaholic #8 já está disponível

Gosta de literatura e sente falta de um lugar que reúna resenhas, reportagens, entrevistas e muitos mais sobre o assunto?

Então você precisa conhecer a revista online Geração Bookaholic.

Capitaneada pela escritora Débora Falcão e contando com a ajuda de vários colaboradores como este que vos escreve, a revista é online, totalmente gratuita e tem periodicidade trimestral.

Na foto, a capa da edição 8 que destaca a presença feminina na literatura e o livro "O livro delas" escrito em conjunto por várias autoras nacionais.


A revista  também tem entrevistas com autores, resenhas, notícias sobre lançamentos e muito mais.

Chamo a atenção para a minha participação na seção "loucos por quotes" onde um autor cita trechos de suas obras favoritas. Na edição 8, temos a participação da Judie Castilho, autora de "O beijo da morte"

Na seção "capítulo bônus" falamos de livros mais antigos, e que não fizeram o sucesso que mereciam. Nesta edição trouxe o escritor galês Ken Follet com seu primeiro Thriller "O buraco da agulha"

Para acessar a revista, basta clicar no link: Revista Geração Bookaholic

Até mais e tenham uma boa leitura!

Dan Folter (Daniel Martins)

terça-feira, 16 de maio de 2017

Resenha - As espiãs do dia D - Ken Follett

Olá meus caros.
Hoje é dia de resenha no canal e o livro escolhido foi "As espiãs do dia D" de um dos meus autores favoritos, o galês Ken Follett

CAPA: 

Uma capa bonita, com degradê em azul e um clima esfumaçado, perfeito para o tema de espionagem da obra.
Reparem como o nome do autor é maior que o do título do livro, uma demonstração do calibre do escritor.

SINOPSESegunda Guerra Mundial. Na fúria expansionista do Terceiro Reich, a França é tomada pelas tropas de Hitler. Os alemães ignoram quando e onde, mas estão cientes de que as forças aliadas planejam libertar a Europa. Para a oficial inglesa Felicity Clairet, nunca houve tanto em jogo. Ela sabe que a capacidade de Hitler repelir um ataque depende de suas linhas de comunicação. Assim, a dias da invasão pelos Aliados, não há meta mais importante que inutilizar a maior central telefônica da Europa, alojada num palácio na cidade de Sainte-Cécile. Porém, além de altamente vigiado, esse ponto estratégico é à prova de bombardeios. Quando Felicity e o marido, um dos líderes da Resistência francesa, tentam um ataque direto, Michel é baleado e seu grupo, dizimado.

Abalada pelas baixas sofridas e com sua credibilidade posta em questão por seus superiores, a oficial recebe uma última chance. Ela tem nove dias para formar uma equipe de mulheres e entrar no palácio sob o disfarce de faxineiras. Arriscando a vida para salvar milhões de pessoas, a equipe Jackdaws tentará explodir a fortaleza e aniquilar qualquer chance de comunicação alemã – mesmo sabendo que o inimigo pode estar à sua espera. As espiãs do Dia D é um thriller de ritmo cinematográfico inspirado na vida real. Lançado originalmente como Jackdaws, traz os personagens marcantes e a narrativa detalhada de Ken Follett. 

DADOS TÉCNICOS: 2015, 448 páginas, Editora Arqueiro, Ken Follett

SINOPSE: A junção de Ken Follett, renomado autor galês com o tema espionagem é garantia de um bom livro certo? 

Certo!

As espiãs do dia D, uma tradução não muito feliz para o original "The Jackdaws" traz o esperado para os fãs do autor e do gênero. Um livro com muito suspense e ação, do início ao fim.

PONTOS DE VISTA ALTERNADOS: Acompanhamos o andamento da trama pela perspectiva dos dois personagens principais, a oficial inglesa Flick e o oficial alemão Dieter. Ela tentando explodir uma central telefônica vital para os nazistas na França e ele fazendo de tudo para proteger a central, além de tentar pegar Flick e os outros espiões.
O autor sabe interromper e alternar de forma a deixar curioso, mas sem perder o leitor. 

VILÃO: Quem já leu outras obras de Follett sabe do talento do autor para desenvolver vilões envolventes, cheios de sentimentos, do tipo que quase torcemos por eles.
Não é diferente com Dieter. O homem que sente enxaquecas quando precisa torturar alguém, algo que abomina, é o melhor torturador entre seus pares e consegue as informações de formas bastante inusitadas.
Também acompanhamos suas paixões, relacionamento familiar e com outros membros do regime nazista. Um personagem memorável.

MEIO HOLLYWOOD: Ao ler a obra, muitas vezes parece que estamos vendo um filme. Algumas das soluções acontecem de forma um pouquinho forçosa, sempre por um triz, o que deixa tudo muito emocionante, mas tira um pouco da verossimilhança.

RELACIONAMENTOS DEMAIS: As espiãs do dia D é uma obra sobre guerra e espionagem. Ou, pelos menos deveria ser. Pode ter sido por influência de terceiros ou decisão do próprio autor, mas a história é preenchida de relacionamentos bastante desnecessários para a obra, alguns parecem pura forçação de barra para agradar à públicos mais específicos.
Essa "enrolação" acabou cobrando o seu preço no final da obra onde tudo se resolve um pouco às pressas.

CUMPRE O QUE PROMETE: Você não irá se decepcionar ao final dessa obra. Pelo contrário, ficará com aquela gostosa sensação de ter aproveitado bem o tempo passado com ela.
O que pesa contra é que, comparado com outras obras primas do mesmo autor, esse aqui fica um pouquinho abaixo, merecendo "apenas" 4 estrelas no Skoob.

E você leitor, já leu esta obra? O que achou?
E outros livros do mesmo autor?

Deixe seus comentários abaixo e vamos discutir literatura

Abraços

Dan Folter