quinta-feira, 26 de maio de 2011

Matuto e a varanda


A casa da avó. ahh, aquele lugar tão gostoso de ir, comemos o que queremos, escolhemos atá o canal de a TV. o problema é quando a vó é quem cria...
Daí o cara volta marmanjo pra visitar a véia e quer agradar, pode deixar vó que eu limpo a sua varanda e rego as plantas que estão lá.
- Obrigado meu filho.
mas quando o neto é o Matuto tudo pode acontecer...

Então lá foi o gênio munido de vassoura, pá de lixo, aquele regador rosa que ele usava na infância e tava com saudades, tirou até essa singela foto da varanda, olha que coisa fofa.
O cachorro queria sair e para o animal (o cachorro) não se sujar fechou a porta por fora, terminou de varrer, regou as plantinhas. Enquanto isso a véia que é praticamente surda foi tirar um cochilinho básico.
Eis que a porta encostou de um jeito que aquela maldita argola que gira pra fechar a porta encaixou pelo lado de dentro e quando ele tentou sair a porta não abria.
Tentou puxar, empurrar, chacoalhar a nada de a porta abrir.
Prendeu o dedo, entrou farpa de madeira na mão e alguns palavrões não foram ouvidos já que ninguém estava perto dele. Tentou colocar o cabo da vassoura no vão mas não deu certo, tentou escalar a parede pra sair pelo telhado mas só foi suficiente para ficar arranhado.
Meia hora depois e muitos arranhões pelo corpo a vó do Matuto acordou e viu ele lá na varanda.

ele chamou a véia e disse que tava trancado. quando ele foi mostrar pra ela que a porta não abria deu mais uma chacoalhadinha e essa tranca aí da foto ao lado desencachou e a porta abriu...
Postar um comentário