quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Crônica - Engolir sapo ou cuspir marimbondo?

É fim de ano. Época de juntar a família e os amigos em perfeita harmonia.

Todos recebem ótimos presentes e saboreiam as melhores refeições para depois voltarem às suas casas felizes e cheios de esperança.
Funciona muito bem nas propagandas de panetone e perfume tão comuns nessa época, pena que na vida real seja um pouquinho diferente.

Pessoas tem sentimentos, ansiedades, angústias, rancores. E todos eles parecem ficar latentes no natal e no ano novo.
Cada um quer as coisas do seu jeito e começa a ficar decepcionado quando vê que não é bem assim, mostrando o seu lado mais egoísta para os outros. 

Nessa hora vem a pergunta que intitula esse texto: Engolir sapos para manter os laços ou cuspir marimbondos para sentir-se aliviado?

Pense na prática social da troca de presentes. Sempre tem alguém que gasta uma fortuna e recebe um par de meias. Ou aquele amigo secreto que parece ter lhe dado o presente que ganhou ano passado e nem se deu ao trabalho de comprar algo. A boa educação nos manda agradecer e ficar calado. 

E quando foi você quem deu o presente e não era o que a pessoa queria? A expressão decepcionada merece uma comentadinha sim, nem que seja um: "se você não gostou pode trocar" só pra ver a pessoa mentindo descaradamente que adorou ganhar uma saladeira. 

Isso dá um alívio, afinal o erro já aconteceu mesmo.

E tem também aquelas visitas que você faz ou recebe. Pessoas que não vê há muito tempo e que se esforçam para se encontrar, embora sempre tenha alguém que não sabe reconhecer. Fica chorando por quem não veio, reclamando que você vem pouco ou vai embora logo.
A esses resta engolir o sapo e resignar-se. No fundo eles reclamam porque queriam passar mais tempo com você.

É nessa época que parentes e inimigos precisam compartilhar a mesma mesa. Os ataques verbais são comuns, a maioria, elegantemente ditos na forma de indiretas. A retórica é o tom da discussão.
Até que alguém fica ofendido e começa a cuspir um ninho inteiro de marimbondos deixando o ambiente pesado para a maioria dos inocentes que ali estavam apenas para celebrar.

Bêbados, ausentes, mau humorados, sentimentais, piadistas sem graça. Todos esses personagens se reencontram nessa época para desgraçar as vidas uns dos outros, mas faremos tudo de novo no ano que vem, afinal, todos adoram esse período de festas...

E lá se foi mais um anfíbio goela abaixo.


Postar um comentário