quarta-feira, 9 de maio de 2018

Crônica - Os filhos como desculpa

Olá pessoas queridas!
Saudades das crônicas? então vai aí um assunto que me colocou para pensar nas últimas semanas: o uso que os adultos fazem dos filhos como desculpa.

Os filhos como desculpa

A vida de um ser humano é um ciclo. Infância, adolescência, fase adulta, meia idade e velhice. O problema é que parecemos nunca estar contentes com o estado atual.
Quando crianças lutamos para nos tornarmos adultos, porém quando adultos, passamos a temer a velhice e sonhamos com a volta ao mundo infantil.

Uma das fases mais difíceis acontece na passagem dos 20 para os 30 anos, quando já não somos mais tão jovens e passamos a não querer mais uma vida de festas, bebedeiras e promiscuidade. Já não nos contentamos mais em dormir no chão ou comer qualquer coisa. Queremos segurança financeira e conjugal, mas morremos de medo de admitir isso publicamente.

Sabe aquela vontade de passar o sábado em casa, devorando um livro ou maratonando uma série? Coisa de gente velha! Voltar cedo para casa após aquela reunião de amigos? Coisa de gente sem energia...

É nessa fase da vida que muitos de nós também iniciamos a vida de mães e pais. Quando as nossas prioridades são substituídas pelas deles. E é aí que surge a oportunidade perfeita para não se assumir: basta jogar a culpa nas crianças!

Não quer ir naquele churrasco na chácara? Culpe a logística de carregar uma criança? Chegou atrasado no evento porque estava cansado e dormiu um pouco mais? Diga que seu filho se sujou e precisou limpá-lo. Quer ir embora cedo sem parecer chato e ainda pagar de responsável? Diga que seu filho está dando trabalho.

É claro que a vida com as crianças exige um trabalho antes inexistente. Bebês modernos necessitam de toneladas de tranqueiras que exigem uma mala maior do que você, os pequeninos entre os 3 e os 7 anos têm uma energia difícil de controlar e os adolescentes saber como ser insuportáveis e inconvenientes.

Mas isso facilita aquele convite para o amigo do tipo: "não vou à sua casa para não te dar trabalho. Venha você aqui". 

Isso se intensifica quando a pessoa não tem filhos, como é o meu caso. As pessoas com filhos acham que a minha vida é um enorme paraíso e que tenho vontade de sair o tempo todo, afinal não tenho filhos para "destruírem" o meu lazer.

Talvez esteja na hora de a sociedade aceitar melhor as mudanças de idade e não encarar esses sinais de que os anos estão passando de uma forma tão negativa.

E vocês, o que acham?
Postar um comentário