segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Resenha - Ressurreição de Machado de Assis

Olá meus amigos desinformados, tudo bem por aí?

A resenha de hoje é de um clássico, mas também de um livro desconhecido do grande público: Ressurreição de Machado de Assis.

CAPA: 


Não tem como julgar a capa de um livro que teve mais de trinta edições, então escolhi uma que representa bem tanto a história, quanto a época. Além de ter uma cara de envelhecida.

SINOPSERessurreição é a primeira tentativa de romance de Machado de Assis. Publicado em 1872, na fase final do romantismo brasileiro, a grande novidade do livro não estava em preocupar-se com a análise de temperamentos e caracteres, mas em ser o primeiro, pelo menos, que com este só propósito se escrevia entre nós.

DADOS TÉCNICOS: 1872, 166 páginas, em domínio público, Machado de Assis

RESENHA: Ressurreição é o primeiro romance publicado pelo grande Machado de Assis e a publicação é de 1872, o que dá quase um século e meio de existência.
Mas a idade avançada não é sinônimo de notoriedade, pelo menos não do grande público. Eu mesmo não tinha conhecimento da obra até adquirir a coleção completa do autor e resolvi lê-la sem saber ao certo do que se tratava.

DO ROMANTISMO (SÓ QUE NÃO): Pela época em que foi lançado, Ressurreição deveria ser uma obra romântica (não amorosa, mas pertencente ao movimento), mas o próprio autor já faz questão de nos avisar que não faria isso em sua primeira, pasmem, tentativa, de escrever um romance.
Então não esperem por amores avassaladores, mas por uma trama que flerta muito mais com o realismo ao tentar analisar o caráter dos personagens ao invés de deixá-los serem movidos pelo amor.

TEM ROMANCE SIM: O parágrafo acima pode dar a impressão de que Ressurreição não é uma história de amor, mas é. O que muda é a forma como o autor coloca a lente sobre os personagens, analisando suas motivações e psicológicos.
Mas, basicamente, é sim um livro sobre relações amorosas.
A TRAMA: Félix é um homem que se orgulha de não ser controlado por seu coração. Ele se achava capaz de encerrar um relacionamento sem que isso o causasse danos. Isso mudará quando o médico conhece uma viúva chamada Cecília e se encanta por ela.

Só que Félix parece temer tanto a possibilidade de um relacionamento duradouro que irá se auto sabotar e colocar em risco essa união.

A situação fica ainda mais complicada quando tanto ele quanto Cecília têm outros pretendentes que podem ajudar ou atrapalhar tudo dependendo do ponto de vista.
PISTAS:  Ressurreição é apenas o primeiro livro de Machado de Assis, mas já conta com uma qualidade bastante alta, seja na trama, seja na qualidade literária.
É bastante interessante já notar, embora em doses menores, alguns dos trações que marcaram o autor mais tarde, como falar diretamente com o leitor e usar certa ironia.
O personagem Félix e sua desconfiança em relação à fieldade da viúva também me fez pensar em um outro personagem mais famoso do mesmo autor. Bentinho, que parece um Félix mais exagerado.

ACHEI UM ERRINHO: A vida de um escritor é dura ao ler algo tão bom e que foi apenas um primeiro livro, mas eu confesso que fiquei com uma pitada de realização pessoal ao encontrar um pleonasmo na obra.
Numa determinada parte, a descrição indica que o personagem irá "entrar para dentro", o que, apesar de não estar errado gramaticalmente, é um vício de linguagem a ser evitado.

Se você, como eu, batalha nessa área das letras, saiba que até o grande Machado de Assis cometeu um deslize um dia. Foi de leve, mas conta rsrsrs.

CONCLUSÃO: Ressurreição é uma mostra bastante poderosa de tudo aquilo que o autor viria a se tornar. É uma história muito bem construída e com um final bastante surpreendente, principalmente para a época.
Claro que o português mais antigo dificulta um pouco a leitura, mas se você tem um Kindle como eu, com um dicionário integrado, fica bem mais fácil de checar aquelas palavrinhas que não foi possível matar pelo contexto.

Pretendo ler toda a obra do autor e sempre contar para vocês o que achei de cada um deles.

Nota 4,0 no Skoob para um livro que nem parece um romance de estreia.

Ahhhh: E se você gosta de Machado de Assis, dá uma passadinha lá no nosso canal do YouTube e assiste o que eu falei sobre Memórias Póstumas de Brás Cubas.



Abraços

Dan Folter
Postar um comentário