quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Resenha - Árion, o reflexo de um outro mundo de Pablo Madeira

Salve meu povo, como estão vocês?

Hoje é dia de resenhar livro nacional. E o escolhido foi Árion, o reflexo de um outro mundo de Pablo Madeira
 
Capa:


Outra vez a Xeque-Matte mandou muito bem em uma capa. Além de muito bonita, tem tudo a ver com a história!

SINOPSEDurante uma invasão noturna em uma velha casa, que muitos julgavam assombrada, Laura acaba descobrindo que um antigo espelho é na verdade um portal para um mundo mágico, chamado Árion. Por acidente, a jovem acaba sendo levada para este mundo na companhia do seu melhor amigo e do ex-namorado.
Porém, os problemas estavam apenas começando, pois Árion está em guerra e a chegada dos jovens é a prova de que uma antiga profecia se tornará realidade, ou seja, a existência de outros mundos, despertando com isso o desejo das forças das trevas de dominarem a Terra a qualquer custo. Agora, a jovem e os amigos precisam descobrir uma forma de voltar para casa antes que seja tarde.
Uma história fantástica, recheada de descobertas e emoções aguarda o leitor.

DADOS TÉCNICOS: 2017 , 225 páginas, Ed. Xeque-Matte, Pablo Madeira

RESENHA: Em Árion, o reflexo de um outro mundo somos apresentados a uma obra de fantasia onde três jovens irão atravessar um espelho que encontram numa suposta casa mal assombrada e então adentrarem um novo mundo onde criaturas como Elfos, fadas, duendes e sereias são reais.
Mais do que isso eles descobrirão que existe uma antiga profecia e que são os escolhidos para livrar aquele mundo de uma guerra iminente.
Essa sinopse pode nos fazer lembrar de outras obras com jornadas do herói em outros mundos como as crônicas de Nárnia, por exemplo, mas ao meu ver as semelhanças terminam por aí. Árion segue um caminho próprio.

BEM AMARRADO: Obras de fantasia onde mundos fantásticos são mostrados sempre correm o risco de apresentarem problemas de coerência, mas o mundo de Árion é bem justificado e a forma de comunicação entre o nosso mundo e o deles é bem concisa.
A trama é simples: Os escolhidos se unirão com criaturas "do bem" e precisarão cumprir uma série de desafios até enfrentarem Befana, a feiticeira que ameaça o mundo de Árion

PERSONAGENS: A narrativa é dividida entre três personagens principais:
Laura é uma menina de 17 anos apaixonada por magia e pelo sobrenatural, o que a leva a querer explorar o suporto casarão mal assombrado. Ela é o principal fio condutor da trama.

Igor é o melhor amigo de Laura. Um rapaz medroso, mas que se deixa levar, bastante doce e compreensivo.

Felipe é o ex namorado de Laura e é inicialmente apresentado como uma pessoa egocêntrica.

Como exige a jornada do herói, esses personagens evoluem bastante na trama e recebem a ajuda de um grupo de elfos onde Truyan é aquele do qual saberemos mais durante essa primeira parte.
Os coadjuvantes também são apresentados de forma correta e são bem descritos, pois, mesmo com uma quantidade numerosa deles, não ficamos perdidos na trama.

ADRENALINA: O livro não tira o pé do acelerados em nenhum momento. É ação contínua com pequenos espaços para ambientação ou desenvolvimento de personagens, bastante adequado para a proposta. Ótimo livro para se ler a noite, já que não dá sono de jeito nenhum.

UMA PITADA LGBT+: Já era esperado que o autor reservasse um espaço para pelo menos um relacionamento LGBT+ na trama. Apenas não me agradou muito a forma como foi feita. Eu imaginava que isso seria apresentado de uma forma natural, mas quando o próprio personagem se acha inadequado pelo que sente, não me pareceu a melhor forma de abordar o tema.
Ao meu ver poderia ter sido colocado como qualquer outro romance e, se houvesse preconceito, que viesse de fora.

REVISÃO: A grande inimiga da literatura nacional ataca novamente. Árion precisava de uma revisão e de um copidesque mais cuidadosos. Encontrei erros de concordância em quantidade bem acima do desejado, problemas com plurais e colocação de vírgulas que acabam por tirar um pouco o prazer da leitura.
Algumas sentenças precisam ser lidas mais de uma vez para que se compreenda o que o autor quis dizer. Não é um livro mau escrito, longe disso, mas esses errinhos, uma constante na literatura brasileira, irritam um pouco.
 
CONCLUSÃO: Árion, o reflexo de um novo mundo é um livro típico de fantasia com todos os elementos que o leitor do gênero espera. Vai agradar em cheio ao público juvenil e jovem adulto. É uma leitura cheia de ação e a história é muito coesa e bem amarrada. O senão fica para a revisão.
Leva 3,5 estrelas no Skoob, um pouco acima da média.

Leia se você gosta de fantasia, monstros e aventura.

Não leia se você espera por algo profundo e filosófico, a proposta aqui é ação e fantasia.

E você leitor? Já leu esta obra? qual sua opinião sobre ela?

E sobre essa resenha? concorda? discorda? quer acrescentar algo?
Então deixe o seu comentário.

Abraços
Dan Folter!
Postar um comentário