segunda-feira, 10 de abril de 2017

Resenha - O livro do Destino de Raphael Miguel

O que você faria se recebesse um artefato capaz de alterar o destino das pessoas ao seu redor?

É com essa pergunta que iniciamos essa resenha do livro do destino escrito pelo autor brasileiro Raphael Miguel

Capa: 

Sabe aquela capa que você entende melhor após efetuar a leitura?
Esse é o caso, então se eu falar muito, será um spoiler. Confesso que não me chamou muito a atenção à primeira vista, mas após ler o livro, fez bastante sentido.

Sinopse: O que você faria se recebesse um artefato capaz de alterar o destino das pessoas ao seu redor, interferir no futuro e destruir realidades? O que faria se um instrumento de tamanho poder caísse em suas mãos? Praticaria o bem ou o mal? Utilizaria para sanar as desgraças do Mundo ou para alcançar objetivos egoístas? Tentaria salvar àqueles ao seu lado, ou salvaria apenas a si próprio? Eric Dias é um rapaz de recém feitos dezessete anos. Pacato, vive uma vida tranquila, sem grandes preocupações. No entanto, um presente inusitado pode alterar para sempre seu destino e de todos ao seu redor. O que o rapaz fará com tal responsabilidade sobre seus jovens ombros? 

Dados Técnicos: 2016, 206 páginas, Editora Chiado, Raphael Miguel.
Link para compra: O livro do destino

Resenha: Quando se ouve falar dessa obra pela primeira vez, logo vem à mente a obra japonesa "Death Note" na qual um rapaz encontra um caderno onde pode escrever o nome de pessoas que deseja a morte.
Nessa obra também há um livro superpoderoso e uma criatura que serve de guia para ele.
As semelhanças acabam por aqui, pois o livro do destino é ainda mais poderoso e, enquanto a obra japonesa foca na fantasia e na investigação, essa aqui foca na parte moral e ética de como se lidar com tamanho poder.

Presente ou maldição?: Essa é a dúvida que paina na mente do jovem Eric. Ao receber o livro, ele primeiro imagina estar com um grande presente nas mãos, uma grande oportunidade, mas, com o tempo, isso se torna um problema tão grande que chega a colocar sua vida em risco.
O livro enfatiza bem as relações familiares do garoto, principalmente com o falecido avô, aquele que lhe deixou o livro de herança.

Começa bem: O livro é um daqueles "page turners" pois você é logo fisgado pela história e quer saber no que vai dar. O autor "pega" o leitor de forma bem rápida.

Enrola no meio: Entre a descoberta do livro e o final, eu senti uma "barriga" na história. Você espera por grandes acontecimentos, mas eles não vêm. Acho que faltou mostrar o livro sendo usado mais vezes nessa parte.

Final para pensar: Confesso que fiquei bastante surpreso com o final da obra. Mais até do que contar uma história, o livro do destino é um livro que provoca o leitor a pensar. A se colocar no lugar daquele garoto e pensar: "O que será que eu faria"

"Nós escolhemos o nosso próprio destino

Nota e conclusão: O primeiro livro "full size" do autor mostra que ele não veio para brincadeira e pode se tornar um expoente no mercado nacional. O livro do destino tem uma ideia muito interessante e um final de virar a cabeça, mas ficou devendo um pouco mais de ação.
Também não gostei muito dos vilões da história. O tamanho proposto do vilão e o que ele acaba por fazer durante a história me soou meio incompatível.
Leia! É um livro que passa bem rapidinho e diverte! nota 3,5 no Skoob!


E você leitor, já leu o livro do destino? o que achou?
Deixe seus comentários:

Postar um comentário