segunda-feira, 17 de abril de 2017

Resenha - Os elefantes não esquecem - Agatha Christie

Olá leitores! como estão vocês?

Hoje é dia de resenha. E não é qualquer autorzinho não... É só a autora mais vendida de todos os tempos: Agatha Christie.

O livro é : Os elefantes não esquecem.

Bora conferir?

Capa: 

Sinopse: Perguntada a respeito da intrigante morte dos pais de sua afilhada, ocorrida há catorze anos, a escritora Ariadne Oliver não vê outra alternativa senão pedir ajuda a seu velho amigo, o detetive Hercule Poirot. 

Afinal, o que exatamente aconteceu no penhasco onde o casal foi encontrado? Será que um atirou no outro e, em seguida, tirou a própria vida? Ou teria sido um pacto suicida?

É chegado o momento de desenterrar velhas lembranças e tentar dar algum sentido a essa surpreendente história.

Dados Técnicos: 2014*, 168 páginas, Editora Nova Fronteira, Agatha Christie.
* Originalmente lançado em 1972

Resenha: Quando se pensa em Agatha Christie, logo se imagina um crime a ser solucionado. Um crime recente, ainda em tempo de prender os culpados.
Não é isso que encontramos em os elefantes não esquecem. O livro é sobre a resolução de um caso que ninguém conseguiu provar se era um crime, um acidente ou um suicídio.

Investigativo: Ao contrário do que se espera da autora, essa obra não é um Thriller. Isso não quer dizer que seja um livro ruim, longe disso, apenas que não há praticamente nenhuma ação na história. Assistimos a uma grande investigação conduzida por 
Hercule Poirot, mas, principalmente por outra personagem, uma escritora de romances policiais inglesa chamada Ariadne
.

Alter Ego?: É bem possível que a autora tenha brincado se colocando na história como a simpática Ariadne. Ela se mostra bastante esperta em filtrar as informações obtidas em entrevistas com as mais diversas pessoas envolvidas com as vítimas do suposto crime. No final quem acaba juntando as peças é mesmo o famoso detetive.

Dá para resolver: Com um pouco de perspicácia e a experiência de ter lido toda a obra sobre Sherlock Holmes, consegui desvendar o caso antes do final do livro. Ao contrário do que alguns dizem, de que a autora costuma ocultar fatos do leitor, tornando impossível a resolução dos casos em seus livros, não é o que acontece nessa obra. Todos os dados estão disponíveis para um leitor observador.

Bom, como sempre: A escrita fluida, as descrições ricas sem serem chatas e os diálogos consistentes fazem dessa uma obra gostosa de ler. Não é aquele livro que mudará a sua vida, mas dará boas horas de divertimento.

"- Estou me despedindo de você, pois vai partir numa viagem de descobertas - disse Poirot. - A la recherche des éléphants

Nota e conclusão: Um livro bem feito, sem falhas e bom de se ler. Não muda a vida de ninguém, mas merece uma chance. Nota 3.
Postar um comentário